Tecnologia do Blogger.
RSS

#SONETANDO A INFÂNCIA I #


Infância desapercebida, distante,
vagando pelos encantos da vida.
Vida norteada para os folguedos,
na ânsia pelo verde das mangueiras.

O capataz dos currais de gravetos,
o criador de porquinhos e bezerros,
das manguinhas com pernas de pau,
na fazenda dos sonhos do menino.

O formato da fruta determinava a criação.
Brinquedo de graça, pobre, sem ambição.
Carrinho de lata velha puxado por cordão.

Infância na terra natal, minha Ituverava.
São lembranças vivas da minha infância.
Vozes do passado ressoando em minh'alma.

"Emoções Por Inteiro de Luiz
Contart, p.35

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

4 poemas:

Andreia do Flautim disse...

Uma boa semana para ti!

Tetê disse...

Ana querida, vim agradecer sua amável visita e ler-te um pouco! Estou tendo problemas no "blog-se" e comecei um novo Livre Pensamento aqui no blogspot! E estou tentando fazer posts diários... Tô te esperando lá! Bjks Tetê
http://livre--pensamento.blogspot.com

PreDatado disse...

A fotografia é um must :)

Não conhecia, nunca tinha lido nada de Inteiro de Luiz. Embora fugindo aos sonetos convensionais no que diz respeito aos estilos de rima, o poema é muito bonito.

Anita disse...

Que os primeiros raios de sol, tragam brilho de alegria ao teu olhar...
Um lindo dia para ti!!! Cheiinho de amor e de boas energias.

Beijinhosssss
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)

Ocorreu um erro neste gadget