Tecnologia do Blogger.
RSS

*CAIR DAS FOLHAS*




"Deixa-me, fonte", dizia
a flor tonta de terror.
E a fonte, sonora e fria
cantava, levando a flor.
"Deixa-me, deixa-me, fonte",
dizia a flor a chorar,
"eu fui nascida no monte...
não me leves para o mar".
E a fonte rápida e fria,
com um sussurro zombador,
por sobre a areia corria,
corria, levando a flor.
"Ai! balanços do meu galho,
balanços do berço meu!
Ai! claras gotas de orvalho,
caídas do azul do céu!"

Chorava a flor e gemia,
branca, branca de terror,
e a fonte, sonora e fria,
rolava, levando a flor.
"Adeus, sombra das ramadas,
cantigas do rouxinol!
Ai! festa das madrugadas,
doçuras do pôr-do-sol!
Carícias das brisas leves
que abrem rasgões de luar...
Fonte, fonte, não me leves,
não me leves para o mar..."
As correntezas da vida
e os restos do meu amor
resvalam numa descida,
como a da fonte e da flor...

"Vicente de Carvalho"



Esse selo foi presente do meu irmão
do Blog Além das Palavras de Magnum.
Ele tem o maior prazer do mundo em
receber vocês no seu cantinho das
palavras.
Nome do blog: Além das Palavras.
Na lateral do meu blog Atelier das Poesias,
tem o nome do blog dele, é só clicar
e visitar. Não vão se arrepender. Quem visitou
pela primeira vez , não deixou de voltar lá.
Agradeço a todos vocês e 1000 beijinhos!

***Ana Maria Gonçalves***

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

7 poemas:

Anita disse...

Neste dia eu te desejo um sol diferente.
Que apesar de todas as dificuldades, apesar de algumas tristezas que insistem, que mesmo com essa montanha erguida, o sol possa ser teu presente mais doce.

Um maravilhoso fim de semana.
Beijos.
Fica bem. Fica com Deus.
Anita (amor fraternal)

Tetê disse...

Esse poema é muito lindo... É sempre muito bom vir aqui! Obrigada por sua visita! Bjks e bom final de semana!

xistosa - (josé torres) disse...

Quando se arrasta ou arrasa uma flor, desmoronamos um pouco da vida.
Mas é inexorável que a água tem que correr para o mar ... e tudo arrastar.

Por vezes a beleza, leveza, doçura, não são suficientes para vencer determinadas correntes.

Deixemo-nos levar e enlevar na corrente da vida.

Bom fim de semana.

Gilbamar disse...

Belíssimo regalo devidamente merecido.

Passando para desejar um feliz fim de semana ao lado dos seus entes queridos.

Poético abraço do amigo Gilbamar.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Ana Maria, belo poema...Espectacular....
Beijos

Tetê disse...

Oi Ana! Hoje vim agradecer a sua visita ao Tempo de Celebrar. Hoje recordo a Ascensão do Senhor. O Tempo Pascal está terminando... Bjks e bom final de semana!

Daniel Savio disse...

Poema bonito, apesar de que na vida, só no resta compreender o que ocorreu para tentar supera-lo...

Fique com Deus, menina Ana Maria.
Um abraço.

Ocorreu um erro neste gadget